domingo, 14 de setembro de 2014

Aberta a temporada em Mangaratiba

Domingo de sol....já me causa terror explícito

Praias lotadas, ruas repletas de carros estacionados em qualquer ponto, tudo sujo e em desordem... e para piorar, ano de eleição, com panfletos jogados pelas ruas, carros de som com propaganda e jingles chatos e maçantes.

Mangaratiba vira uma Babel, uma salada insossa, um balaio de gatos. 
Já era para estarmos ao menos  acostumados, mas não me acostumo mesmo!  Todo ano aguardo que as coisas sejam  ordenadas para que menos transtornos sejam vivenciados por nós e..nada!!

Ontem, já senti o que será o verão para quem vive por aqui... A calçada do meu prédio tomada por mesas, cadeiras de bares, garrafas, panelas, pratos e gente mal educada... e o pior é que se trata muitas vezes dos próprios comerciantes e moradores do local. Também já vivemos as consequências no trânsito da Rio Santos, com atropelamentos e acidentes horríveis.  Protestos completaram o sábado de sol

Tudo igual... e mais um pouco! 

Bom, nada disso é novidade e é tragédia anunciada. Vejam, vocês se lembram dos problemas no ano passado, quando o DNIT quebrou as barracas das cocadeiras? Alguma providência foi tomada? 

Agora, vamos ter as consequências, pois o atropelamento de ontem em Muriqui, é o que o DNIT precisava para corroborar a decisão de retirada das cocadeiras das margens da Rio Santos.

Será que é muito difícil se enxergar mais que um palmo dos narizes dos governantes? Será que não poderiam manter as fiscalizações durante o ano para "educar" e "intimidar" os excessos cometidos pela população? Será que um abraço a causa destas cocadeiras não teriam evitado ao menos  a dor de se ter uma menina de cerca de 10 anos entre a vida e a morte por conta deste comércio as margens da Rodovia? Será que se tivessem posto em prática a ideia de capacitá-las para que se associassem e formassem uma cooperativa já não teria impulsionado melhores condições de trabalho e desenvolvimento econômico para elas?

Me lembro que houve até uma reunião e cadastro destas profissionais por parte da Secretaria de Turismo e Eventos e que não foi adiante sem maiores explicações...eu até imagino os motivos, mas não podemos deixar de lembrar que boas iniciativas devem ser estimuladas e desenvolvidas. Claro que seria mais uma tarefa da Ação Social e Direitos Humanos, mas veio da Secretaria de Turismo e deveria ser abraçada pelos demais.

Bom, as soluções podem ser muitas, as omissões é que não podem existir... Caminhar, ajustar as metas a serem atingidas, tocar os projetos, dar prioridade as causas que atingem a população mais carente de serviços públicos se faz urgente por aqui...


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Reação



E eu deixei de lado meu baixo astral.
Fiquei quase um mês sem postar nada, sem ler os comentários, sem coragem de reagir a nada... Já estava ficando doente e não havia percebido.  Estava me implodindo, estava me matando de diversas formas e não atentava para isso.
Resultado, o cansaço físico que sentia, a falta de vontade em ler e participar de algum debate, um enfado enorme em ver tanta gente  a serviço do nada, o envenenamento por tantos cigarros que fumava ao dia como uma bengala que aumentaria minha capacidade de relaxar, me levaram ao quadro de quase encontro com a “luz”.
Segunda-feira, dia 8, meu coração resolveu pirar e mostrar que estava sobrecarregado e que já não aguentava tanta maldade. Assim, logo na parte da manhã, ele resolveu fazer uma corrida de 180 a 200 batimentos por minutos e a pressão caiu, caiu, caiu até ficar inaudível.
Chamamos uma ambulância pois não conseguia nem chegar ao Posto de Muriqui...mas.... 
“Senhora, a ambulância está em Itacuruçá.”
Minha irmã corre e pega o primeiro motorista que se dispôs a me levar até o Posto. Chegando lá, corre prá cá, corre prá lá, as técnicas de enfermagem, pois o pseudo médico nem se aproximou, tentaram fazer um eletro por diversas vezes e nada, depois soube que o aparelho estava “ruim” desde a semana passada, as vezes funciona, as vezes não... mas, conforme o tempo ia passando, e não sei se por falta de oxigênio, o que via era a cara de bunda assustada do médico com sua barba  e olhos de idiota, dizendo que eu devia ser transferida para o Hospital, peço até que me perdoem, mas deve ter sido mesmo a falta de oxigênio que me fez ver a  tal criatura como um arremedo de alguma coisa, pois conseguiu me irritar.
Bom, mas como Deus é muito bacaninha comigo, percebo que a falta de ambulância no Posto foi minha salvação.  Tiveram que acionar o SAMU e foi ali, dentro da ambulância do SAMU, no pátio do Posto que recebi o socorro que precisava, amiodarona, dopamina e por cerca de vinte minutos, fui atendida ali e assim consegui chegar ao hospital.
Agradeço a equipe do SAMU de todo coração. Fizeram o certo, fizeram prontamente e nós que vivemos da providência divina, temos que agradecer que exista gente competente ainda por aqui...

No Hospital, fui bem atendida, e me encantei com o médico que cuidou de mim... as meninas da enfermagem já conhecia, mas o médico, mais uma vez tirei alguma coisa positiva neste episódio. 
Tivemos oportunidade de trocar algumas ideias e me envergonhei de fumar tanto, de  atirar minha vida fora, de não reagir da forma correta a tudo que me oprime e aprendi que nada vai me segurar ...
Podem acreditar nisso!
Obrigada, Dr. Paulo pela atenção e pela lição de vida e pelos cuidados profissionais.
As meninas da enfermagem, meus sinceros agradecimentos e podem contar comigo para qualquer luta que venham a fazer pela classe e por melhores condições de trabalho e por mais respeito a profissão de vocês.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Marina Silva é nós! É 40!

Texto de um jovem militante do PDT, sobre Marina Silva.


 Com a palavra, Rudolph Hasan:




Intolerância, Preconceitos e Conservadorismo
É de espantar as recentes críticas que tem aparecido nas redes sociais a Marina Silva, chega a ser assombroso o teor das opiniões que circulam na rede, mas por um lado, e somente por esse lado, é positivo o que está ocorrendo, por demonstrar com clareza e sem escaramuças, o quanto nossa sociedade ainda é MACHISTA, RACISTA E INTOLERANTE!
Marina Silva desde que iniciou o processo de formação da Rede Sustentabilidade, junto a vários agentes da sociedade, demonstrou claramente a partir dos Estatutos do Partido, sua intenção de transformar a política tradicional, jogando pra escanteio o velho modelo político. Através de vários mecanismos de participação popular, a Rede vêm propondo uma ampliação dos espaços de participação, o que na minha opinião, amplifica o caminho para a tão sonhada “Democracia Participativa e Direta”, mesmo que ainda sob a forma da institucionalidade (que ao meu ver não será superada de hoje para amanhã).
Tal proposta da Rede, faz tremer os velhos adeptos das tradicionais e mal fadadas práticas políticas, fisiológicos convictos e pragmáticos de gabinetes, praticantes dos acordões de corredor e dos mais espúrios negócios do “poder”. Nessa perspectiva, e visto a alta popularidade de Marina, inicia-se uma campanha extremamente suja contra essa mulher, que em primeira instância visa impedir o fortalecimento de um modelo participativo e mais democrático de se fazer política, como também, retardar a ascensão ao Planalto de um SÍMBOLO daquilo que as oligarquias e a cultura conservadora brasileira mais oprimiu por séculos: A mulher, o pobre, o índio, o negro e o religioso adepto do credo “não oficial”.
É lamentável ver indivíduos que se dizem afinados com a “esquerda”, tecerem críticas tão perversas contra a menina dos seringais. Dizem os oportunistas que ela “não presta” por ter amizade com a herdeira do Banco Itaú e com empresário dono da Natura, mas não observam a mesma medida quanto as relações do PT com Odebrech, Camargo Corrêa, OAS, Banco Bradesco, Maluf, Fernando Collor, Sarney, Calheiros...devo continuar? Outra crítica que tem sido feito a Marina Silva justamente por grupos ditos de “esquerda”, diz respeito a opção religiosa da moça, que é Protestante. Falam os sabiás, que Marina é “fundamentalista”, “contra o aborto” e “casamento Gay”. As perversas afirmações falaciosas só evidenciam o tamanho de nossa intolerância religiosa. Marina Silva sempre afirmou separar suas convicções religiosas da sua atuação institucional e ainda em 2010 foi mais avançada do que qualquer um dos candidatos ao propor um grande debate nacional sobre os temas, abrindo esses “tabus” e colocando na mesa de cada brasileiro esses temas tratados ainda com muitos dedos. Aos desavisados, nos quadros da Rede Sustentabilidade, inclusive em esferas de direção de executivas, existem indivíduos das mais variadas orientações sexuais, como transexuais que ocupam cargos de destaque, diferente da maioria dos demais partidos.
Ainda sob as críticas provenientes dos partidos que compõe o governo, observa-se a prepotência estrutural da narrativa anti-Marina, quando pauta a candidata como perigosa por comungar de uma doutrina religiosa, e absolve das mesmas críticas Dilma, pelo simples fato de ser ateia, jogando pra baixo do tapete qualquer crítica relativa ao alinhamento da mesma a IURD, Garotinho e CNBB. Dilma pode, Marina não? Nesse aspecto, se revela justamente o grande fracasso do PT, que se baseou na tratativa da “governabilidade”, sentou com “Deus” e o “Diabo”, abraçou Pezão, Garotinhos e Malufs e não diferenciou-se, perdeu sua marca e coerência no achismo de que o povo na hora “H” iria na lógica do “menos pior”, optando por Dilma em detrimento a Aécio, até que Marina voltou ao cenário.
Da parte da “direita”, a crítica a Marina recai justamente por seus longos anos de PT, CUT e militância ambientalista. No período em que esteve no ministério do meio ambiente, pedidos e mais pedidos de licenças ambientais para construção de barragens ou exploração de terras virgens, se amontoavam nas prateleiras do setor de protocolo, sendo em sua maioria indeferidos pela ministra. Os ruralistas acusam Marina de travar o “desenvolvimento” do País com um discurso “verde”, mas comungam do mesmo medo dos governistas em perder espaço de influência na política nacional, com uma possível implantação de um modelo democrático e participativo de gestão, que de fato permita o avançar do tão combatido “poder popular”. Não digo aqui que Marina será arauto de uma “revolução”, nada disso, mas sem dúvida suas propostas podem representar um ponto de corte na política brasileira, trazendo avanços significativos e potencializando as vozes que emergem das ruas.
No fundo no fundo, fica nítido pra mim que a maioria dessas críticas, elencadas tanto pela “exquerda” quanto pela “direita”, tem como arcabouço os velhos preconceitos que reproduzimos todos os dias. Para as elites conservadoras, sejam elas as burocráticas ou as endinheiradas, a eleição de uma mulher índia, vista inclusive por muitos como negra, de cabelo duro, que só foi alfabetizar-se na adolescência, de formação política marxista e que professa uma religião que nos dias de hoje é maioria na “cozinha da casa grande”, representa simbolicamente a subversão dos valores mais atrasados, por tanto tempo tão defendidos e por elas sustentados.
Que venham as críticas...vejamos se da casa grande ou dos capitães do mato...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Educação que chora...mais um pouco!


Continuando a chorar...

"Sou professora e trabalho em uma das maiores escolas do município. Estamos passando por uma situação tão difícil e que nunca passamos em outros governos. Fico intrigada de não ver estes relatos neste blog que dizem ser frequentado por professores, será que todos estão cegos? Será que só minha escola tem problemas graves? Só vejo professor se mobilizando por melhoria de salários! E para melhores condições de trabalho? Falta tudo que se relaciona a material escolar, falta material de limpeza (o problema do papel higiênico é grave pois as crianças vão ao banheiro e no retorno o cheiro de fezes pode ser sentido dentro da sala, isso é covardia! ) Eu levo o meu papel para o meu uso! Algum vereador já teve a curiosidade de visitar os banheiros das escolas dos distritos em que foram eleitos? Muitos não tem portas, vasos sem tampa e muita sujeira! Diretores de escola sem motivação que recebem funcionários enviados por motivos políticos (muitas vezes sem ter o que fazer ou incapazes de fazer o que lhes é atribuído). Existem professores que não tem a mínima condição de dar aula e ficam vagando como zumbis pelos pátios. E a Diretora porque não devolve este funcionário? Porque não tem autonomia para isso! Ou porque quem indicou foi o Marido da Cristine. Faltam funcionários se um lado e sobram do outro! Inspetores e merendeiras batem cabeça e fingem que trabalham. Diretoras nomeadas afugentam alunos do período noturno ao afirmar que eles só vem para comer. Como uma diretora pode falar isso para um aluno? Resultado: o ensino noturno de adultos acabou (a Diretora é amiga do prefeito). Será que alguém do magistério leu esta postagem? Não sei o que fazer! "

 OBS: Comentário feito na postagem "Educação que chora".


Agora, mais um pouco de lamento... acidente com ônibus escolar no dia 18/08, segunda feira.
Alguém foi a público explicar os motivos deste acidente? Alguém cobrou explicações sobre este acidente?
Alguém se indignou com este acidente? 
Transporte escolar é coisa séria e deve ser feito com garantias de que nossas crianças estão aos cuidados de profissionais competentes, sejam eles motoristas, ou responsáveis pela administração deste transporte que requer todo empenho com revisões e vistorias. Não esquecendo do preparo de monitores para agir nestas situações também.
Não podemos esquecer que nossa tranquilidade depende em muito da segurança que nos transmitem quando algo desta natureza é esclarecido a população.
Várias são as reclamações em outros blogs e redes sociais sobre os receios da população quanto a este transporte... 


 OBS: Este pneu não está um tanto gasto?


Chega de chorar, não é mesmo?