sexta-feira, 1 de maio de 2015

O impasse...


Hoje, no dia do trabalhador, em um município cujo maior empregador é a prefeitura, e que tem como dever modificar esse quadro em que nos encontramos, em que deve ter como prioridade a geração de qualidade dos serviços públicos para que possamos também atrair novos investimentos empresariais, a reflexão e a partilha de ideias é a maior mensagem que podemos transmitir a todos.

A gestão pública não diverge tanto da gestão privada

As diferenças entre gestão pública e privada começam em como se escolhe os profissionais para suas funções  e terminam na hora da demissão – ou na impossibilidade de demiti-los. Essas diferenças não querem dizer que um setor é mais desafiador que outro: significam apenas que cada um deles possui peculiaridades às quais devem se atentar os líderes que tem como objetivo o bom ambiente de trabalho e sua produtividade.
Não são sorrisos ou discursos prontos que motivarão funcionários, estes, podem até facilitar e acalmar de início, porém não resultam em qualidade e nem em confiança na equipe.

Temos que refletir que as divergências têm início ainda antes da admissão do funcionário. Enquanto no setor privado, em geral, busca-se alguém com experiência de mercado, no público a prioridade deveria ser  a qualificação técnica. Na primeira situação, o desafio do gestor está em escolher um funcionário com habilidades inerentes à função que será realizada. Já, no funcionalismo público, é necessário que o líder saiba realinhar diferentes perfis de profissionais que não foram por ele escolhidos, para que todos trabalhem em função do mesmo propósito. Isso, se aplica quando o funcionalismo público é respeitado e quando se deseja de fato a valorização do quadro de funcionários de uma empresa pública e se quer a equidade de direitos entre TODOS.

Agora,  em ambos os setores, o gestor é instigado a manter sua equipe motivada, alinhada e evitar que desejem se desligar da função ou serem desviados para funções que não são as de sua competência.

No setor privado, existe a facilidade de direcionar seus funcionários e os propósitos da empresa para que caminhem juntos, já  que há maior possibilidade de manifestação de  expectativas tanto por parte do contratante quanto do contratado. Ao mesmo tempo, é vantajoso que o gestor direcione esforços para manter seu funcionário fiel à vaga que ocupa, uma vez que substituí-lo, embora muito menos burocrático que no setor público, é algo que demanda tempo e dinheiro.

Em contrapartida, na área pública a possibilidade da demissão está mais distante da realidade. Com isso, é comum acreditar que há menos cobrança nesse setor, o que não deve acontecer, visto que metas e indicadores precisam ser atingidos, mesmo nas empresas públicas. Porém, o maior o desafio é:  como manter a motivação da equipe sem a possibilidade de demiti-los, caso não cumpram o prometido?

Alguns pontos podem ser considerados primordiais: primeiro, o gestor deve ter interesse em conhecer a realidade e as habilidades particulares de cada colaborador que apesar de ocupar determinado cargo,  pode não ser capaz, necessariamente, de executar o que se espera dele. Por outro lado, ele pode se tornar excepcional, caso sejam realizadas algumas  adaptações em suas funções.

Procurar compreender o que motivou cada um a estar na respectiva vaga, desde que tal escolha não tenha sido algo para benefício pessoal de seu líder ou facilidades que só beneficiariam a má prática da administração. 

Em ambas as organizações, públicas ou privadas, o engajamento dos funcionários é primordial para a efetividade do trabalho de cada um. E para que isso aconteça, é necessário um questionamento contínuo: sua comunicação está realmente clara com sua equipe? As pessoas sabem o que é esperado delas? E  para isso acontecer, também é necessário que antes se avalie o ambiente em que o gestor circula, silenciosamente construir o entendimento de sua equipe e nunca, mas nunca mesmo, propor vantagens que somente se direcionam a funcionários que desejamos subjugar ou pelos quais se tem apreço particular. Depois de escutar, entender e dimensionar a qualidade de seu grupo, entra a fase de comunicação clara com sua equipe para que  juntos iniciem a construção de um novo ambiente organizacional produtivo, justo e cujo objetivo seja a qualidade do serviço prestado.

Comunicação, engajamento da equipe, relacionamento interpessoal, habilidades essenciais para quem quer o desafio da liderança, independente do tipo de organização.

E tenho certeza de que este será o maior desafio que encontraremos em Mangaratiba... comungar destas mesmas ideias e apresentar novos tempos de gestão pública para nossos funcionários. 

A vantagem que temos é ter um governante funcionário público que deverá a todo momento buscar a valorização da máquina pública, respeitando A TODOS e se desvinculando dos vícios que levaram a tanta desigualdade e insatisfação entre os funcionários, que acarretaram ao longo dos anos, esta acomodação e que levaram ao péssimo serviço público prestado a sua população. 

Hoje, em Mangaratiba, temos o salve-se quem puder.... quando deveria ser salvemos nossa dignidade como população e como servidores públicos.


Boa sorte, prefeito!


sábado, 18 de abril de 2015

Nota Oficial do Prefeito Ruy Tavares Quintanilha

NOTA OFICIAL


Nos últimos meses, vimos a crise governamental em Mangaratiba se agravar, vimos nosso município viver momentos de insegurança e intranquilidade sem que pudéssemos tocar o dia à dia.

Neste momento em que Mangaratiba se encontra, venho transmitir minha total dedicação e compromisso com a população, honrando não somente aos que sempre confiaram em meus propósitos, como a todo cidadão de nosso município. Assim, farei tudo para garantir que não tenhamos um desequilíbrio maior do que já estamos vivendo e garantir os serviços básicos como educação, limpeza pública e o atendimento em saúde que se encontra em total desmonte, deixando a população sem garantias a seus direitos constitucionais e básicos, principalmente neste momento, o acesso a esse serviço primordial a vida. O fechamento dos postos 24 horas e as recentes exonerações serão reavaliadas.

Não sabemos como encontraremos as contas públicas, não sabemos, hoje, em que grau de comprometimento estão os contratos firmados pela prefeitura, o valor total devido a fornecedores, ao Instituto de Previdência e ao INSS e não podemos dizer, de imediato, qual será a solução encontrada.
Durante a próxima semana a sede da Prefeitura Municipal de Mangaratiba estará fechada para o atendimento externo, mas estaremos trabalhando internamente. Daremos início a uma auditoria e iremos transmitir a toda população nosso passo a passo para reconstrução de nosso município. Nenhuma ação será tomada de cima para baixo! Nenhuma ação será feita sem que a população participe, ou seja informada em tempo real.

Convoco a população para tempos de união, de sugestões, de coração aberto para trocas que levem ao bem comum. Nosso município precisa ser reconstruído e não estamos vivendo momento eleitoral para que divisões e escolhas sejam mais importantes que o bem estar de nossa gente. Conto com o Legislativo, conto com o funcionalismo público, bem maior de toda administração, mas conto primordialmente com a população de Mangaratiba, para que juntos, possamos colocar nossa casa em ordem.
RUY TAVARES QUINTANILHA

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mangaratiba amanhece mais leve.


E eu amanheci.... despertei como sempre bem cedo, minha menina sai muito cedo para a escola... e começou o alarme do WhatSapp... 

Ainda não tinha acontecido a prisão do prefeito Evandro Capixaba, mas a casa já estava cercada, pois só podem cumprir mandado de prisão após as 6:00 hs da manhã. E minha agonia começou... eram muitas as sensações e parece até exagero, mas conseguiram fazer lágrimas caírem de meus olhos... Quando fui informada de que as duas prisões tinham sido feitas (Evandro e Capitão Sidney), meu coração ficou aos pulos e me lembrei que um dia, fui achincalhada na rua por um dos presos.... me lembrei que toda minha vida pautada em me tornar melhor, tinha sido machucada em minha dignidade por um biltre e na presença de representante do legislativo que foi o pivô dessa afronta ao me apontar para o canalha. E os pseudos homens que ali estavam... coitados, sou mais macho que eles!

Dramática, eu? Não! Completamente envolvida com nosso município, com cada um de nós que apanhou sozinho deste desgoverno. Envolvida com cada pai e mãe de família injustiçado ou cada pessoa que teve que suportar as afrontas de um grupo de carniceiros sociais que se apoderou de nosso município por 4  anos e 4 meses!  Um sentimento de impotência vendo nossa educação cair por terra e sujar a cara na lama. Ver nossa saúde desmoronar até podermos só contar com milagres e com a eficiência de alguns funcionários comprometidos com suas funções.

Mas, hoje, também ouvi homens e mulheres soltarem a avalanche de emoções represadas por tanto tempo. 

Claro que sei que ele pode voltar, claro que sei que ele pode ser solto, mas também sei que hoje, ninguém mais poderá se dizer enganado ou sobrevivente silencioso diante disso tudo. A vergonha deles não será esquecida, a luta de quem se dispôs a brigar é a maior lição que poderemos deixar para outros cidadãos e para os próprios políticos que se aventurarem a não respeitar sua gente. Essa é uma luta que direciona e que vai abrindo trilhas para chegarmos ao bom andamento rumo a um desenvolvimento social, econômico e cultural!

Hoje, desejo de coração que tenhamos uma nova etapa a cumprir, nos dando as mãos para que possamos sair deste buraco financeiro, organizacional e que possamos dar passos para o respeito, dignidade e bem estar de todos. A tarefa será árdua, mas acredito em perseverança e resistência!

E a mim, torço para que nunca mais precise dar em meu facebook,  Bom dia, prefeito!

Que o caminhar desse prefeito, que hoje assumiu, seja feito de aprendizado e de respeito as diferenças e ao nosso povo.

Seja bem-vindo Dr. Ruy Tavares Quintanilha! Não gostaria de fazer o Bom dia, Doutor!




quinta-feira, 16 de abril de 2015

NOTA OFICIAL SOBRE POSTOS DE SAÚDE DE MANGARATIBA - Vice Prefeito

Reproduzo a Nota oficial do Vice Prefeito Ruy Tavares Quintanilha

NOTA OFICIAL SOBRE OS POSTOS DE SAÚDE DE MANGARATIBA:


Tendo em vista os últimos acontecimentos em nossa Mangaratiba, onde soube de forma não oficial que algumas Unidades de Saúde teriam seu funcionamento 24 horas reduzido para o horário comercial, motivando a exoneração de dezenas de funcionários, venho manifestar-me:

Recebi esta notícia com muita tristeza, pois sou médico efetivo desta prefeitura desde 2004 e trabalhei em todas as Unidades de Saúde deste município, de Jaguanum a Conceição de Jacareí, onde fiz vínculo de afeto e amizade com muitos funcionários. E muitos destes hoje perderam seus empregos, o que ameaça a estabilidade econômica de seus lares. Como Vereador fui autor de algumas leis relacionadas à saúde, como a obrigatoriedade de se fazer o “teste da orelhinha”, o “teste do olhinho” em todas as crianças nascidas em nosso hospital (prevenção da catarata neonatal e das perdas auditivas), semana de prevenção de câncer de mama e colo de útero e semana de prevenção ao câncer de próstata, entre outras.

Quando me tornei Vice-Prefeito tentei encaminhar a “saúde de Mangaratiba” para o rumo que julgava o mais correto. Onde iniciamos um processo de fortalecimento e melhoria da qualidade no atendimento das Estratégias de Saúde da Família, baseado nas sedes próprias, que seriam as novas unidades de saúde (o novo modelo de Posto de Saúde implantado em Muriqui), onde teríamos uma grande infraestrutura para melhor atender a população(sala de palestras, sala de curativo, farmácia básica e consultório odontológico). Compramos 06 veículos do tipo Kombi para que as visitas domiciliares, feitas pelas equipes das Esfs, começassem a acontecer de verdade. Conseguimos, com muita dificuldade e superando muitas barreiras, construir a primeira Unidade de Saúde, já neste novo modelo que idealizamos para todo o município, em Muriqui. Inauguramos esta nova unidade com um modelo de atendimento para desafogar o grande volume de pacientes atendidos no Hospital Municipal Vitor de Souza Breves. Pacientes que antes tinham que procurar o hospital para fazer um raio-X ou para fazer um exame de sangue não precisariam mais se deslocar para o hospital, pois nesta unidade poderiam contar com o atendimento de emergência, raio x e laboratório 24 horas. Contratamos médicos especialistas como cardiologista, ortopedista e ginecologista. E garantimos o atendimento ambulatorial em pediatria todos os dias. Esse mesmo modelo seria levado para Itacuruçá e Conceição de Jacareí. Quando deixei de fazer parte deste atual governo, em abril de 2014, as licitações para que estas obras pudessem ser iniciadas já estavam prontas.

E agora tudo que sonhei se transforma em pesadelo. Não posso entender de qual forma e qual verdadeira motivação para que a saúde de Mangaratiba retroaja no tempo mais de 20 anos. A construção dos Postos de Saúde de Muriqui, Itacuruçá, Conceição de Jacareí e do Ranchito foram custeadas pela antiga empresa M.B.R.  E, desde então, a prefeitura arca com as despesas de pessoal e material de consumo destas unidades. Com isso já se vão mais de 15 anos. Época em que o orçamento do município era pouco mais de R$50milhões/ano. Como, hoje, com um orçamento em torno de 06 vezes maior, a atual gestão não consegue pagar as mesmas despesas que eram pagas há 15 anos? Como ficam estas famílias agora desempregadas? E o povo? Quando uma pessoa “passar mal” durante a madrugada e não possuir veículo, o que deve fazer? As ambulâncias ficarão a disposição nos postos, mesmos que fechados? Porque somente o Posto de Muriqui ficará aberto 24 horas? As pessoas que moram em Muriqui são melhores que as dos outros distritos? Claro que não! Muitas pessoas morrerão devido à demora no socorro! Quem será responsabilizado civil e criminalmente, caso isso ocorra?