terça-feira, 31 de março de 2015

Justiça afasta Luciano Mota -prefeito de Itaguaí

Abrindo espaço no blog, para nosso município vizinho que está dando show de cidadania e com isso ajuda a justiça a desemperrar a máquina!!!!

Com essa ação cautelar, o prefeito e alguns de seus assessores e secretários, ficam suspensos do exercício de suas funções públicas. Cabe recurso, porém é momento de comemorar!

Bem, se eu fosse um pouco mais cética, diria que ajudou um pouco, nesta batalha contra a corrupção, o prefeito ser do PSDB e o vice do PT, para que tivéssemos essa visibilidade na causa de Itaguaí, mas, como quero que se acenda a esperança por aqui, vamos confiar!!!!

A participação popular, o engajamento do funcionalismo e o pouco quantitativo de funcionários contratados foram decisivos para este momento. Vimos que só o movimento das águas paradas é que puderam mover este moinho. E é isto que falta em Mangaratiba...mexer nessas águas paradas, acomodadas, opacas que só ajudam o perpetuar dessa ofensa chamada administração local.

Meu respeito a todos que se movimentaram em Itaguaí, meu respeito e admiração a Sueli Fernandes que foi incansável nesta luta, aos amigos que debateram no face, discutiram pontos de vista abertamente, mesmo discordando, lá estavam eles, no maior respeito quanto a diferentes formas de se ver a política. O que os uniu foi a certeza de que como estava, não poderia continuar e se deram as mãos e lá na frente, no tempo certo, no ano eleitoral, voltarão a seguir suas tendências... agora, era tempo de fortalecimento e um objetivo em comum: Tirar de Itaguaí, se valendo de todas as ferramentas que tinham disponíveis, o prefeito ostentação, Luciano Mota.

Usaram tudo e todos, justiça, mídia, funcionalismo, população, adversários, amigos e até os dissidentes do governo atual. Foi show de bola!


É assim que se faz! É assim que se caminha!

sexta-feira, 27 de março de 2015

Março em Mangaratiba

Começar a escrever na véspera de final de semana é dose... guardei a semana para não me tornar a "resmungona" de plantão, mas é quase impossível não desopilar a revolta que sentimos quando vivemos o estado de estagnação que se encontra o município e que não reage a essa infecção de corrupção e distorção dos conceitos mais básicos de política, gestão pública e ética em relação a sociedade.

Mangaratiba vem adoecendo faz tempo e foi tomada por uma infecção generalizada nestes últimos quatro anos. Assim, sem ter tido "atendimento" logo que começou a adoecer, ficou sem condições de reagir a esta exposição de má gestão  a que estamos sendo submetidos.

Essa semana, só na Educação, foi possível vivenciar vários momentos que nos apontam onde chegaremos se tudo isso não for estancado, e se não colocarmos como meta o arregaçar de mangas e não mais deixarmos que improvisem em tudo nesta área.

Nada do que acontece na área da Educação é novidade para nós, mas vem se agravando de tal forma que já não é possível a passividade. É merenda improvisada,  com fornecedor não entregando em algumas escolas, pois estava sob fiscalização. É merenda escassa, algumas creches sem desjejum, sem frutas e tudo muito improvisado. Não conseguem nem mesmo licitar fornecedores em tempo hábil e de forma a atender a Lei 8.666/93, pois para isso devem ter lisura em suas ações e hoje, diante da crise instalada em nosso município, somente os "parceiros" de arranjos, estão disponíveis para fornecer a uma prefeitura que se declara falida.  Mesmo que todos saibamos que os motivos alegados não são os verdadeiros, qualquer fornecedor competente não arriscaria ficar sem receber por meses seguidos, comprometendo a saúde financeira de sua empresa.

E a questão da inclusão? Totalmente deixada como se fosse algo superficial, banal, sem prioridade na educação!!!! Sem mediadores nas escolas, que pressionados pelos pais, estão colocando pessoas não capacitadas para exercer uma função tão delicada e de tamanha importância. Pessoas que mesmo cheias de boa vontade, não são capazes de discernir que inclusão não é favor e muito menos serviço de babá ou de "caridade". Não conseguem nem mesmo entender que pessoas com deficiências possuem direitos garantidos e prioritários em sociedade.

Esta pasta é o retrato fiel da decadência que Mangaratiba vive, sem controle, sem ordenamento e empurrando com a "barriga" seus problemas gravíssimos. Falta pessoal de apoio, falta material de toda ordem, falta capacitação e falta orientação e objetivo final... brigas gravíssimas em escola, até mesmo em sala de aula, pois sem que se tenha um rumo definido, sem que se tenha tranquilidade para planejar e conduzir as peculiaridades de cada comunidade escolar,  a educação se arrasta com suas pequenas "fraudes" para que não se detecte em avaliações o quanto ela está deficiente... para que seus índices não caiam, retiram seus educandos com piores aproveitamento do ensino regular e os colocam na EJA diurna que não entrará nestas avaliações... mascaram e mentem... depois comemoram o nada absoluto!!!!

E a possibilidade disto se agravar é grande, pois diante desta crise assumida, será que o pagamento de dois meses dos contratados será honrado nestes próximos dias? Ou teremos pagamentos parcelados a pessoas que já não podem mais honrar seus compromissos? Será que com todo esse horror, esta gestão está conseguindo arrecadar os tributos municipais?

Será que somente os "leigos", simples cidadãos  são capazes de perceber isso????? Será que elegemos somente incapazes e alienados? NINGUÉM fiscaliza essa afronta?

E a conduta geral desta gestão? É a adequada para quem quer obter a "redenção" junto a população?
Carros oficiais em mercados, outros estacionados em bairros do subúrbio carioca, todo os dias... pick up em serviço circulando por rodovia federal com pessoas penduradas na caçamba... carros a serviço do município executando serviços particulares em propriedades de "gestores" e afins...

Quanto a saúde, já é malhar em ferro frio... antes de dormir, temos que implorar à Deus que permita que  a população não necessite de atendimento médico ou de medicamentos no dia seguinte... e se não for possível, que tenhamos a sorte de encontrarmos um plantão menos decadente, onde a equipe  supra de imediato as deficiências que esta gestão impõe ao trabalho destes  profissionais. Demissões de médicos, dentistas e auxiliares deixando postos a descoberto, não oferecendo o mínimo de atendimento a nossa população que cansada, dobra os joelhos em humilhação e pede consolo ao Pai Maior, pois se depender de sua gestão e da justiça, estaremos entregues aos ratos e as pragas sociais que sugam nossa cidadania.

Eu, quando me dirijo a Deus, só peço forças para lutar contra isso, não quero consolo, quero forças,  união e coragem...
.

Fotos tiradas em bairro do subúrbio carioca!


quarta-feira, 25 de março de 2015

Transformando ou renovando?

Estamos vivendo um momento de crise de tal monta em Mangaratiba que só vejo clamor por renovação.... renovação....renovação!

Falam em renovação de executivo, legislativo, sapato, bolsas, cuecas e calcinhas...querem renovar quase tudo... só não pensaram em uma renovação que é a fundamental nisso tudo. Não clamam por mudanças/transformações individuais, conceituais e culturais em nossa gente, em nossa população da qual fazemos parte, e de onde emergem os "políticos" que elegemos ou mesmo muitos dos que almejam serem eleitos!

Eu já clamo por mudanças/transformações.... muito diferente de renovação... mudanças em nossa forma de viver a política e a relação que temos com o poder constituído por nós.

Mudar a partilha de saberes...onde quem possui informações tem o dever de dividir com os demais... viver a transformação comportamental... onde temos que nos contextualizar no mundo a nossa volta e saber o que nos serve como população e aquilo que não queremos para nós.

Conhecer os deveres de cada um dos eleitos e promover este conhecimento aos que viciados em tirar proveito individual da política, possam avaliar suas próprias condutas e forma com que se relacionam com os eleitos.

Aprender a questionar, sabatinar os candidatos para compromissá-los em ações concretas com a população e não com uma família ou um eleitor. Fazer da palavra cidadania algo palpável e não somente palavra para discursos. 

Termos a certeza de que todo cidadão tem direitos sociais básicos que são: 
- a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância e  a assistência aos desamparados. E isso, não se mendiga, nem se troca por favores. 

E o Estado tem o dever de garantir e promover a regulação desses direitos. Não o oferecendo como barganha política, nem de forma individual!

Para que se encontre o equilíbrio político precisamos participar, exigir e principalmente nos  "policiar" em nossos anseios individuais que não podem ser vendidos aos maus políticos, que muitas vezes também estão sendo expostos pela própria população carente de tudo, inclusive de saberes.

Enfim, antes de gritarmos por renovação, que tal gritarmos por mudanças/transformações comportamentais? Renovar os eleitos, não significa transformar conceitos e forma de "politicar". Podemos ter a mudança que queremos, se a direção for nossa e aprendermos a escutar, questionar e conduzir aqueles que se propõem a uma guinada por aprendizado, que  assim como nós, estão aprendendo da forma mais dolorosa possível! 

A transformação é agora e não ficarmos esperando ano eleitoral para "renovar" o que não nos propusermos a mudar já!

Cada um dos direitos sociais básicos, são problemas coletivos dos profissionais envolvidos, dos usuários de cada uma dessas áreas citadas e consequentemente da população como um todo. O silêncio da população e dos profissionais, o improviso e a aceitação "resmungona" só nos transformou em cidadãos de meia pataca que estão amargando a constatação de que nada estamos produzindo como pessoas, cidadãos e .... munícipes! Mangaratiba, a cada ano se torna um parasita que vive de verbas, sem produzir absolutamente nada. Não qualifica seus cidadãos, não instrui sua gente, não promove o desenvolvimento econômico e social do município e destrói seu Meio ambiente!

Vamos debater conceitos, ideias e formas de conduta. Vamos discutir organização popular, vamos construir uma cultura que não esteja atrelada a radicalismos que sucumbirão ao primeiro impasse imposto pelo sistema. Vamos conciliar os diferentes ideais que sejam favoráveis a população.

Então, antes de gritar "renovação", vamos questionar a nós mesmos se queremos mudanças/transformação ou somente a dança das cadeiras, onde quem tá sentado não quer sair e quem está em pé quer sentar.




quinta-feira, 19 de março de 2015

Mangaratiba que reage!

E a percepção de que não podemos mais ficar esperando que algum dia, em algum tempo, ou no tempo moroso da falta de prioridade com que a justiça costuma caminhar em nosso país, está levando pessoas a buscar o olhar das autoridades e da opinião pública para nossa Mangaratiba!

Ora, se não temos uma população mais aguerrida, aqueles que o são, devem mesmo se unir neste momento e fazer a ebulição necessária para movimentar estas águas paradas que estão apodrecendo nosso município.

E assim, independente de posicionamentos políticos, hoje, vimos o cansaço dar lugar a coragem e a vontade de fazer acontecer algo genuíno por todos nós.

Hoje, estão ali representando o desemprego imposto a nossa gente por pertencermos a um município que não é produtivo por falta de investimentos e uma corrupção que afasta qualquer empresário honesto de nossa terrinha.

Hoje, representam aqueles que levaram o calote da prefeitura, representam os que sofrem perseguições por posicionamentos que não apoiam a desfaçatez governamental. Ali, também está representada a verdadeira educação de Mangaratiba, aquela que quer desenvolver o futuro e não esmorece pelos obstáculos.

Ali, temos os que sofrem por falta de qualidade em nossa saúde, temos os que se indignam com a mentira, a falta de transparência nas questões governamentais e que exigem que sejamos respeitados.

Mas, o principal é que ali, temos gente como eu e vocês que já não suportam ver nosso cotidiano ser massacrado por esta paralisação governamental que vive de enganar e matar a possibilidade de um futuro mais digno para todos.

Ali, sim, está a voz do povo, na rua, no Rio de Janeiro, tentando fazer aquilo que não fazem por aqui... os que deveriam nos representar!